segunda-feira, 4 de dezembro de 2017

Confiando em Deus nas mudanças ministeriais

Olá pessoal!

A vida cristã as vezes pode parecer uma loucura! Quando me converti nunca imaginei como seria minha jornada. Sinceramente acho que sempre pensei que ser cristã me isentaria de vários problemas e teria uma vida como nas propagandas de viagens: todos felizes e sem problemas!

Obviamente isto faz muito tempo senão este texto não precisaria ser escrito. Na verdade, viver uma vida cristã é como um casamento: por mais que você se prepare, estude, você nunca vai saber o que vai encontrar pela frente. Nunca estará preparado o suficiente para o que vai acontecer e nossa fé pode permanecer a menos que venhamos a desistir. 

Uma das coisas mais difíceis pra mim desde 1995 foi mudar de igreja. Não mudei muito mas o suficiente para dizer que dói. Sempre me dediquei muito me entregava em de coração nos lugares que eu estava servindo. Amava estar onde estava. Amava as pessoas. Ao longo dos anos a vida vai mudando, a gente vai mudando seja geograficamente ou ministerialmente, e ir para um novo lugar e começar tudo do zero é muito desafiador. É muito difícil recomeçar, ir disposto a ajudar e não vermos os resultados que a gente queria no tempo que a gente gostaria. Infelizmente para mim o que mais ficou provado ao longo dos anos são os amigos que você achava que tinha. Quando você muda de igreja, honestamente não sei o que acontece, as pessoas deixam de falar ou se envolver com você. Pior ainda, se você é pastor. Você vira alvo de culpa dos outros (é lamentável como culpamos os outros e não reconhecemos nossos próprios erros). As pessoas se afastam como se fôssemos algum ET.

Veja o exemplo de Jesus: era o Filho do Deus vivo no meio das multidões, fazendo milagres e prodígios, causava desconforto nos fariseus, se tornou famoso, e continuou Filho de Deus quando foi crucificado. Seu nome acima de todo nome, o nome mais famoso, teve sua parcela de sofrimento, de incompreensão, de solidão não só por parte daqueles que andavam com ele, mas na própria cruz quando disse a Deus "porque me desamparaste?" (Mt 27.46).

Mas existe algo bom nisso tudo: as experiências, a vivência que você aprende com cada pessoa, líder, que atravessa o seu caminho. Deus usa situações, pessoas e projetos onde estamos congregando para nos moldar, nos fazer melhores para o propósito que Ele tem pra vida da gente porque tudo o que Ele faz é bom e coopera para o nosso bem. Além disso, pode parecer que não mas estamos abençoando a vida de alguém, mesmo "sem querer", porque em um lugar sempre aprendemos com os outros enquanto outros aprendem com a gente. O molde de Deus não está só nos bons momentos, quando tudo está fluindo, quando o Espírito Santo está se movendo e está aquele "fogo", aquela unção que amamos viver. O molde de Deus está também na quietude, nos momentos ruins também para que o conheçamos melhor em intimidade, confiança e dependência de quem Ele é. 

Há algum tempo eu estava pensando em todas essas questões, buscando em Deus o porque de tudo. No fundo do coração eu sabia que poderia lidar com as indiferenças, mas não podia ficar sem Deus. Estive na igreja da minha sogra e era dia de ceia. No fundo do coração me sentia envergonhada porque eu achava que minha vida precisaria estar perfeita para Deus me aceitar em sua casa. O meu padrão de servir a Deus estava se elevando alto demais, ficando fora do meu próprio alcance de "perfeição". No entanto, naquele culto, quando eu vi aquelas pessoas de bastante idade servindo a ceia para os outros e adorando a Deus com tanto amor e simplicidade, Deus falou ao meu coração: "Você ainda participa da minha mesa". Foi emocionante e lindo.

As pessoas podem julgar você e a mim quando por algum motivo mudamos de igreja. Tive minha parcela de erros e acertos nisso. A medida que vamos envelhecendo, percebemos o que realmente importa. O melhor seria se toda mudança ministerial fosse calma, serena e tranquila, mas sabemos que nem sempre isso acontece. Tem mudanças que parece um verdadeiro "empurro" de Deus pra gente amadurecer (pelo menos eu acho que comigo foi assim e ainda estou amadurecendo...), as vezes parece com Jonas da bíblia, não temos muita escolha, mas não importa, Deus sempre nos quer em sua presença, em sua casa. Por isso, estar em Sua presença na alegria ou na tristeza (principalmente na tristeza), é tão importante. Aprendemos a estar sensíveis a sua voz para obedecer a Sua vontade.

Se você está vivendo isto ouça o que eu digo: busque ao Senhor. Não alimente palavras dos outros que não são benção na sua vida. Não tenha vergonha ou medo de tomar decisões em Deus. Ele é quem te sustenta, te guarda e é para Ele você prestará contas. Medite em Romanos 8. Viva no Espírito de Deus e não na carne e se você estiver em Cristo não há mais condenação pra você.

Para hoje:


"Portanto, agora nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus, que não andam segundo a carne, mas segundo o Espírito"


JS

Curtiu o Blog? Registre aqui!