quarta-feira, 6 de dezembro de 2017

Os sonhos e o tempo


Os dias negros também surgem quando sonhamos. Quando temos fé que podemos fazer o que acreditamos, mas que somos provados nas circunstâncias a permanecer ou desistir do nosso sonho.
Muitas coisas em minha vida foram assim.  Quando fui tirar carta de motorista, há muitos anos, é a típica situação que me provou. Fiz todo o processo do Detran e quando chegou a hora da prova prática, fiz umas 3 ou 4 e reprovei em todas. Lembre-se que para cada dia de prova, você tem que esperar um tempo para fazer a próxima prova. Todo mundo estava pagando para tirar a carta e eu me recusava a fazer. Como mulher de Deus não achava certo e nem justo subornar pra ter uma carta de motorista (sim, eu era a certinha...). Muitos achavam que eu era doida ou sem noção, mas não me importei porque sou firme quando acredito numa coisa. No fim, me sentia humilhada porque não me sentia aceita. É quase como comida japonesa; para você ser aceito na sociedade, parece que você tem que saber duas coisas: ter carteira de motorista e comer comida japonesa.
Enfim, depois de alguns anos, tentei tirar carta novamente. Fiz todo o processo novamente mas como a escola tinha problema com agenda para ter aulas disponíveis para os alunos aos sábados, fiz todas as aulas, mas quando chegou na hora de marcar a prova prática, não dava mais tempo porque já tinha passado do prazo de um ano desde a matrícula, e portanto, teria que fazer tudo novamente.
Eu não queria mais saber de tirar a carta. Entretanto, quando eu fiquei de licença do trabalho para cuidar da minha saúde, tive muito tempo livre em casa. Numa dessa me dei a chance de tentar tirar a carta novamente. Se não desse certo, não tiraria nunca mais.
Depois de um tempo, minha saúde melhorou de modo que eu pudesse fazer aulas. Fiz todo o processo do Detran novamente, fiz as aulas práticas até que finalmente, por um milagre, consegui passar no exame prático, sem precisar “pagar” o Detran. Senti tanto orgulho de mim e vi que aqueles dias difíceis para esta situação estavam indo embora. Depois, quando fui embora de carona com meu instrutor, ele me disse que tinha orado a Deus para todos os seus alunos passarem sem pagar o Detran.  Deu certo! De todos os alunos, apenas um não passou (quando peguei minha habilitação, queria ficar exibindo pra todo mundo! Realmente, isso foi histórico na minha vida :)
Parece insignificante, mas quando queremos algo que parece ser impossível, se colocarmos nosso coração sincero diante do Senhor, ele pode preparar o que queremos porque Deus tem prazer em nos abençoar e no final das contas, a gente sabe que Ele é quem leva todo o crédito!
Lembro-me também quando fui sozinha para a Nova Zelândia em 2013. Morei lá um mês. Fazer intercâmbio era desejo de criança que a medida que eu ia crescendo,, ardia mais em mais em eu coração. Tentei uma vez indo para o Canadá, paguei meu visto no Banco e quando fui no consulado, o oficial mal olhou os meus documentos e disse que não era a hora. Passados anos, me casei, mas o Renato não tinha o mesmo sonho que eu. Orei varias vezes durante os 5 primeiros anos do nosso casamento, até que ele me apoiou e fui fazer minha tão sonhada viagem.
Outro exemplo foi o sonho de se ter um livro. Quando me formei, queria escrever um livro, mas não tinha dinheiro para financiá-lo. Me formei sem ter um projeto de livro na mão.
Anos depois comecei este blog e anos atrás fiz uma série de textos para jovens solteiros. Daí surgiu a ideia de compilar esses textos e transformá-los em livros e assim surgiu o “Devocional para jovens solteiros I e II” onde a gente conta a história de como Deus preparou o nosso casamento, quando estávamos solteiros e esperávamos o seu melhor.  Passados 10 anos desde a minha formatura, recebi uma proposta de publicação de fazer o Devocional e quando eu estava na Nova Zelândia, recebi a ligação do meu marido dizendo que o nosso livro tinha sido publicado e no ano seguinte, o outro livro também veio.
Tem coisas na vida da gente que achamos ser tarde demais para realizar. Vivemos anos esperando coisas assim acontecer. Mas Deus, conhece e sonda nosso coração e cada intenção e por experiência própria, posso dizer que, por mais negros que sejam os dias em que os sonhos parecem que não vão se realizar, Deus tem o tempo certo de todas as coisas. E se Ele não realizar, você terá paz porque seu coração estará ligado no coração Dele.

Para meditar hoje: Salmos 37 e Eclesiastes 3

segunda-feira, 4 de dezembro de 2017

Confiando em Deus nas mudanças ministeriais

Olá pessoal!

A vida cristã as vezes pode parecer uma loucura! Quando me converti nunca imaginei como seria minha jornada. Sinceramente acho que sempre pensei que ser cristã me isentaria de vários problemas e teria uma vida como nas propagandas de viagens: todos felizes e sem problemas!

Obviamente isto faz muito tempo senão este texto não precisaria ser escrito. Na verdade, viver uma vida cristã é como um casamento: por mais que você se prepare, estude, você nunca vai saber o que vai encontrar pela frente. Nunca estará preparado o suficiente para o que vai acontecer e nossa fé pode permanecer a menos que venhamos a desistir. 

Uma das coisas mais difíceis pra mim desde 1995 foi mudar de igreja. Não mudei muito mas o suficiente para dizer que dói. Sempre me dediquei muito me entregava em de coração nos lugares que eu estava servindo. Amava estar onde estava. Amava as pessoas. Ao longo dos anos a vida vai mudando, a gente vai mudando seja geograficamente ou ministerialmente, e ir para um novo lugar e começar tudo do zero é muito desafiador. É muito difícil recomeçar, ir disposto a ajudar e não vermos os resultados que a gente queria no tempo que a gente gostaria. Infelizmente para mim o que mais ficou provado ao longo dos anos são os amigos que você achava que tinha. Quando você muda de igreja, honestamente não sei o que acontece, as pessoas deixam de falar ou se envolver com você. Pior ainda, se você é pastor. Você vira alvo de culpa dos outros (é lamentável como culpamos os outros e não reconhecemos nossos próprios erros). As pessoas se afastam como se fôssemos algum ET.

Veja o exemplo de Jesus: era o Filho do Deus vivo no meio das multidões, fazendo milagres e prodígios, causava desconforto nos fariseus, se tornou famoso, e continuou Filho de Deus quando foi crucificado. Seu nome acima de todo nome, o nome mais famoso, teve sua parcela de sofrimento, de incompreensão, de solidão não só por parte daqueles que andavam com ele, mas na própria cruz quando disse a Deus "porque me desamparaste?" (Mt 27.46).

Mas existe algo bom nisso tudo: as experiências, a vivência que você aprende com cada pessoa, líder, que atravessa o seu caminho. Deus usa situações, pessoas e projetos onde estamos congregando para nos moldar, nos fazer melhores para o propósito que Ele tem pra vida da gente porque tudo o que Ele faz é bom e coopera para o nosso bem. Além disso, pode parecer que não mas estamos abençoando a vida de alguém, mesmo "sem querer", porque em um lugar sempre aprendemos com os outros enquanto outros aprendem com a gente. O molde de Deus não está só nos bons momentos, quando tudo está fluindo, quando o Espírito Santo está se movendo e está aquele "fogo", aquela unção que amamos viver. O molde de Deus está também na quietude, nos momentos ruins também para que o conheçamos melhor em intimidade, confiança e dependência de quem Ele é. 

Há algum tempo eu estava pensando em todas essas questões, buscando em Deus o porque de tudo. No fundo do coração eu sabia que poderia lidar com as indiferenças, mas não podia ficar sem Deus. Estive na igreja da minha sogra e era dia de ceia. No fundo do coração me sentia envergonhada porque eu achava que minha vida precisaria estar perfeita para Deus me aceitar em sua casa. O meu padrão de servir a Deus estava se elevando alto demais, ficando fora do meu próprio alcance de "perfeição". No entanto, naquele culto, quando eu vi aquelas pessoas de bastante idade servindo a ceia para os outros e adorando a Deus com tanto amor e simplicidade, Deus falou ao meu coração: "Você ainda participa da minha mesa". Foi emocionante e lindo.

As pessoas podem julgar você e a mim quando por algum motivo mudamos de igreja. Tive minha parcela de erros e acertos nisso. A medida que vamos envelhecendo, percebemos o que realmente importa. O melhor seria se toda mudança ministerial fosse calma, serena e tranquila, mas sabemos que nem sempre isso acontece. Tem mudanças que parece um verdadeiro "empurro" de Deus pra gente amadurecer (pelo menos eu acho que comigo foi assim e ainda estou amadurecendo...), as vezes parece com Jonas da bíblia, não temos muita escolha, mas não importa, Deus sempre nos quer em sua presença, em sua casa. Por isso, estar em Sua presença na alegria ou na tristeza (principalmente na tristeza), é tão importante. Aprendemos a estar sensíveis a sua voz para obedecer a Sua vontade.

Se você está vivendo isto ouça o que eu digo: busque ao Senhor. Não alimente palavras dos outros que não são benção na sua vida. Não tenha vergonha ou medo de tomar decisões em Deus. Ele é quem te sustenta, te guarda e é para Ele você prestará contas. Medite em Romanos 8. Viva no Espírito de Deus e não na carne e se você estiver em Cristo não há mais condenação pra você.

Para hoje:


"Portanto, agora nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus, que não andam segundo a carne, mas segundo o Espírito"


JS

sábado, 2 de dezembro de 2017

Reconciliação


“Sara-me, e eu serei sarado”...
Jeremias 17.14


No ano passado, meu marido e eu fomos presenteados com uma estadia em um hotel em Poços de Caldas. Estava tudo pago, a estadia com todas as refeições.
Foi tudo perfeito. A viagem de carro até lá nos mostrou como o interior de SP tem estradas lindas, a cidade de Poços, o ar  tranquilo  da cidade, o acordar com o som dos pássaros  com uma vista linda  das montanhas, foram cinco dias perfeitos de uma viagem dada por Deus pra nós.
Nossa viagem aconteceu no meio do caos e ir pra Poços foi o meio para descansarmos alguns dias. No ultimo dia, estávamos no quarto do hotel assistindo pela tv ao Congresso de Mulheres Diante do Trono e de repente aquelas palavras entraram como uma faca no meu coração.
Fui tomar banho e no chuveiro me derramei em lagrimas. O Espirito Santo me trouxe a memoria as muitas vezes em que eu acusava meu marido pelas nossas dificuldades. Quantas vezes o fiz pensar que a culpa era dele, e mesmo sabendo que ele é um homem amoroso e bondoso, se eu o tinha ferido, eu nem tinha percebido até aquele dia. Deus preparou aquela viagem para que eu me acertasse com ele e assim, não haver nenhuma rachadura em nosso casamento.
Quando vivemos dias ruins é fácil a gente colocar a culpa no outro. Nos isentamos de tantas coisas que não enxergamos aonde estamos errando. Isto acontece no casamento e em outros tipos de relacionamentos. Na igreja mesmo, nos magoamos muitas vezes e pedir perdão é uma atitudes dos bravos. Não vou mentir, houve muitas vezes  que eu queria arrumar uma boa briga para me justificar ou defender a mim ou minha casa. E arrumei. Muitas vezes eu quis que ninguém mais entrasse na minha casa ou na minha vida.  Muitas vezes eu achava que a culpa era do outro e eu a vitima.  O fato é que no reino de Deus, ganha aquele que perde. Se quisermos ganhar a nossa vida, vamos perdê-la e eu acredito que o segredo é confiar em Deus, nos humilhar diante Dele para que Ele endireite o nosso caminho e restaure os nossos relacionamentos.
O dia mau é o dia perfeito para mostrar no espelho como está verdadeiramente o nosso coração, diante de Deus e das pessoas.

Ainda hoje me dói quando lembro de alguns comportamentos que eu tive lá trás. Há um tempo perguntei ao meu marido se havia algo nele, no fundo do coração que houvesse qualquer sinal de magoa e graças a Deus a resposta foi não.

Curtiu o Blog? Registre aqui!